Programa de aprofundamento em atenção plena e compaixão

SEMANA 4

 

“A essência da bondade amorosa é sermos capazes de oferecermos felicidade. Você pode ser a luz do sol para outra pessoa. Você não é capaz de oferecer felicidade se você não a tiver. Então construa uma casa dentro de você, aceitando a você mesmo e aprendendo a amar e aceitar você mesmo” - Thich Nhat Hanh

No seu nível mais profundo, o coração da bondade é quem somos. É a natureza do nosso ser – Erza Bayda, do Zen Center de São Diego

Nesta quarta semana de curso, vamos entender um pouco mais a essência da bondade amorosa, que nada mais é que a natureza do nosso ser. Não precisamos buscá-la fora, porque ela mora dentro de nós, só precisamos nos conectar à ela. Comece a notar e praticar isso enquanto medita, respire pelo seu coração e sinta a bondade amorosa vindo de dentro, sentindo a essência mais profunda de seu ser emergindo.

Também vamos refletir sobre a prática com a leitura da semana. A bondade amorosa não é "um sentimento amoroso superficial para cobrir a dor não curada, ou tentando nos fazermos parecer mais 'amorosos'". Ela é algo bem mais profundo. Ela vem de nossa essência e envolve um trabalho mental que nos leva a julgar menos, de perdoar mais e deixar que a vida simplesmente seja - que nós simplesmente sejamos e os outros também.

 

O texto também nos alerta para o fato de que sentimentos aversivos podem surgir durante a prática da bondade amorosa - como medo, raiva ou preguiça. É importante que sejamos capazes de identificá-los e aceitá-los. A prática de aceitá-los, e não brigar com eles, é a melhor forma de deixar que eles não se tornem obstáculos e permitir que a bondade amorosa emerja naturalmente, sem forçar. 

E falando em perdão, vamos trabalhar bastante o auto-perdão, que é um aspecto crucial da auto-compaixão e do amor próprio. E também o perdoar os outros. O não perdoar pode ser impedimento para as práticas da bondade amorosa que envolvem nós mesmos e pessoas com as quais temos conflitos.

Boa semana e boa prática!

1. Prática principal

  • Link para escutar todas as meditações guiadas do primeiro curso: www.semeandopaz.com/audio

  • Link para escutar todas as novas meditações guiadas do segundo curso: www.semeandopaz.com/compaixaoaudio

  • Praticar as meditações do perdão, pelo menos uma vez cada. Elas são: 'Assim como eu', do Meng do Google (disponível na página /áudio), e a 'Perdoando com o coração', inspirada no trabalho de Tara Brach, na página /compaixaoaudio.

  • Tente também fazer práticas da bondade amorosa em silêncio. Elas podem ser curtas, de 5 a 10 minutos. Uma boa ordem para começar é: 1) Respire pelo coração e note seus sentimentos. Deixe que eles fluam naturalmente, se a bondade amorosa surgir, a cultive; 2) Pense em alguém que você ama e respeita muito, e com essa pessoa, aprofunde a bondade amorosa; 3) Escolha três frases (tipo: que eu seja feliz, que eu seja saudável, que eu viva em paz) e comece a enviar a bondade amorosa para você, sentindo essas palavras profundamente; 4) envie a bondade com as mesmos desejos para todos os que você ama; 5) depois envie para todo o planeta, todos os seres.

 

2.  Prática informal

Respirando pelo coração a todo momento. Vivendo na bondade amorosa.

Assim como fizemos com a atenção plena no primeiro curso, vamos passar a levar a bondade amorosa para todos os cantos e momentos possíveis. Respire pelo coração e sinta a bondade amorosa emergir. E continue assim, enquanto caminha, trabalha, antes de dormir, sempre que se lembrar.

3. Leitura da semana

A meditação da bondade amorosa – por Erza Bayda, DO ZEN CENTRE DE SÃO DIEGO

Sem misericórdia, sem bondade, independentemente de quanta disciplina possuímos, independentemente de quão sérios sejamos sobre a prática, ainda ficaremos presos à sutil impiedade da mente que nos diz que basicamente somos indignos.

 

Infelizmente, a prática da bondade amorosa é muitas vezes apresentada de uma forma que ignora a necessidade de lidarmos com nossos medos e autojulgamentos. Ao fazer afirmações como "que eu seja feliz", "que eu seja livre do sofrimento", e assim por diante, fica fácil usar essa prática de forma errônea, gerando um sentimento amoroso superficial para cobrir a dor não curada, ou tentando nos fazermos parecer mais "amorosos". Mas na verdade, nós estamos fazendo algo muito diferente.

Então, o que significa despertar bondade amorosa? Poderíamos definir a bondade amorosa como um sentimento de boa vontade, ou amizade, muitas vezes acompanhada por sensações de calor e receptividade. Essa abertura, essa sensação de permitir, diminui a tendência da nossa mente a julgar constantemente.

 

Respirar pelo centro do peito, que é um aspecto essencial da meditação da bondade amorosa, de alguma forma diminui a solidez de nossa mente que tende a julgar e nos permite acessar essa capacidade de sermos abertos, de nos deixarmos ir. De deixarmos que os outros simplesmente sejam, de deixar que nós simplesmente sejamos, de deixar que a vida simplesmente seja.

No entanto, é importante lembrar que, ao fazer esta prática, não estamos tentando nos fazermos de sentir de alguma maneira especial, como entrar em um estado de amor ou algo do tipo. Isso não pode ser enfatizado o suficiente. Em vez disso, estamos entrando em contato como estamos agora, o que inclui entrar em contato com tudo aquilo que previne a nossa bondade natural de brotar, emergir.  

No seu nível mais profundo, o coração da bondade é quem somos. É a natureza do nosso ser. Portanto, aqui está algo para se manter em mente: certamente haverá momentos em que sentiremos algum sentimento de bondade amorosa enquanto respiramos pelo coração. Mas, assim como muitas vezes, podemos sentir dormência ou mesmo raiva e medo. No entanto, reconhecer e experimentar o que está presente permitirá que nossa bondade natural gradualmente comece a fluir.

A meditação consiste em algumas frases que se repetem várias vezes. A primeira frase ou conjunto de frases é orientada para si mesmo. A segunda e seguintes rodadas são oferecidas para pessoas próximas a você. A última rodada da meditação é oferecida a todos os seres.

As próprias frases são importantes porque nos ajudam a concentrar e dirigir a nossa atenção. Naturalmente, como em qualquer outra meditação, iremos repetidamente parar nos nossos sonhos, planos ou fantasias. Mas, ao ficar com as frases da melhor forma que pudermos, vamos melhorar nosso foco.

Contato:

Carolina Galvani

Email: carol.galvani@gmail.com

Cel/Whatsapp: (17) 99196 0418

SIGA-NOS

  • Facebook Social Icon